Origem do nome do município de Independência

O porquê da escolha do nome Independência.

A cidade de Independência, desde 1880 até os dias de hoje é um município pertencente ao Estado do Ceará. E quando foi integrada a esse estado já trazia esse nome. Porém, até hoje não sabemos com segurança porque foi denominada assim.  O que realmente motivou para que a população ou os donos do lugar escolhessem esse nome.  Bem, essas perguntas sempre ficam entaladas na garganta dos Independencianos que buscam essas respostas. Teria sido fácil e justo se os nossos antepassados responsáveis por essa tomada de decisão no ano de 1857 tivessem feito um documento bem detalhado esclarecendo os motivos reais sobre a escolha desse nome. Se tivessem agido dessa maneira teriam facilitado muito o trabalho e a dor de cabeça de quem quer saber sobre o assunto.    Posso até está sendo injusto, quem sabe se essas pessoas não elaboraram esse documento e ele se perdeu no tempo!  Ou também pode ter sido extraviado, corroído pelas traças, ou sabe-se lá esteja esquecido e guardado em algum arquivo da cidade. Tudo isso pode ter acontecido, afinal de contas,  já se passaram 156 anos de história em relação a esse fato.

montagem origem

 Enquanto não se chega a uma conclusão e não se faz nenhuma descoberta temos que nos contentar com a explicação dada no velho histórico que faz um relato muito simples sobre a escolha do nome. Posso aqui descrever da mesma forma como está no histórico e depois fazer uma analise. Em principio de 1957 os habitantes da povoação de Pelo Sinal reclamavam a situação inferior de dependentes da Vila Príncipe Imperial, o que lhe obstava o desenvolvimento, exigindo a urgente criação do município. A reivindicação mereceu acolhida na capital da Província do Piauí, a 24 de julho do mesmo ano foi expedito o Decreto nº 436, criando o município com sede no antigo povoado Pelo Sinal, elevando a categoria de vila com território desmembrado de Príncipe Imperial com a denominação de Independência.  Descrevo agora de outra forma: Tudo aconteceu devido a vontade dos antigos moradores da Vila Pelo Sinal em quererem desmembrar-se territorialmente da Vila Príncipe Imperial, isto é, serem libertos, ganharem sua independência na formação de um novo município.  No momento essa explicação é considerada a mais aceita, mais fazendo uma analise percebemos algumas dúvidas.  Porém o meu pensamento sobre a escolha do nome é de que não teria sido de caso pensado e nem projetado desde o principio pelo grupo que o escolheu, foi escolhido por acaso ou por conseqüência dos fatos ocorridos.

Analisando a primeira versão, vemos que os habitantes da povoação de Pelo Sinal reclamavam a situação inferior de dependentes da Vila Príncipe Imperial, o que lhe obstava o desenvolvimento. Primeiro é importante sabermos quem eram esses habitantes. Mas, é óbvio que eram os descendentes do nosso fundador, os donos do lugar que faziam parte da elite colonial local. E tudo leva a crê que foram eles os principais mentores ou idealizadores para fazer acontecer essa separação. Podemos até fazer uma suposição de que o líder, o principal mentor dessa empreitada tenha sido o Padre Jose Rufino Soares Valamira, bisneto de José Ferreira de Melo, que mesmo desenvolvendo o seu trabalho na vida religiosa vez carreira na política tendo sido eleito como deputado provincial em 1848 e com certeza a sua influência do meio político e religioso favoreceu na conquista do desmembramento. O poder das famílias participantes dessa elite no período colonial era bastante forte, principalmente quando se consorciavam com outras através do compadrio, casamento, batizado e outros tipos de acordos. Essa união era feita para garantir a sobrevivência e o poder local dentro de uma região.  Essa história de situação inferior de dependentes da outra vila foi só um pretexto. Na verdade o interesse na separação envolvia outros motivos com alguns objetivos.  Como por exemplo: Para criar uma vila, não havia nenhum empecilho, pois na época precisava apenas da reivindicação e vontade da população, bastando apenas que o pedido fosse feito para logo ser aceito e acatado pelas Autoridades Provinciais. Depois da vila criada e com seu território desmembrado e demarcado, o consórcio familiar passava a controlar tudo. Sendo que cada vila se tornava um universo quase que autônomo, onde o governo central quase não intervinha para se fazer impor como centro de poder. Dessa forma juntavam-se os grupos familiares para formar rede de relações sociopolíticas, onde em cada vila criada, algumas famílias proprietárias de terras exerciam um controle exacerbado sobre a estrutura governamental municipal, tendo o controle da maquina pública, a aplicação da lei, a organização das eleições, a defesa da ordem, a punição aos criminosos e outras atribuições. Portanto, a criação de uma vila como pessoa política jurídica era um triunfo muito mais da família poderosa do que qualquer autoridade provincial. E tudo isso no meu modo de ver, chama-se interesse próprio, ganância de poder, controle político, status. De fato foi comprovado que eles conseguiram elevar o povoado à vila, emancipada no ano de 1857.  E agora bastava somente escolher o nome.

Agora, para confundir ainda mais ou clarear a cabeça dos independencianos, podemos relatar outras hipóteses que também não seriam descartadas nem fariam desonras para a escolha do nome Independência.  Fique atento e preste muita atenção, pois essas que listarei são apenas suposições, mas que podem ser consideradas como possibilidades e inspiração para a escolha do nome.

Primeira Hipótese: Seria em relação à Independência do Brasil, do dia 7 de Setembro de 1822. Vejam bem, esse fato foi muito importante em todas as províncias e para todos os brasileiros, por tudo de bom e ruim que aconteceu. É um fato histórico festejado até os dias de hoje. Nos primeiros anos teve muita repercussão e foi motivo de muita propaganda e modelos para aqueles que buscavam liberdade. Ora se esse fato aconteceu no ano de 1822, os independencianos tiveram apenas 35 anos para optar na escolha do nome Independência no ano de 1857, afinal de contas era isso que desejavam os antigos moradores da vila Pelo Sinal.

Segunda Hipótese: Por causa da Independência do Brasil, eclodiram revoltas em algumas províncias brasileiras. E os acontecimentos de uma delas servem como estopim para ajudar a expandir ainda mais o nosso pensamento. A revolta a qual fomos envolvidos bem de perto aconteceu bem dizer no terreiro de casa. No ano de 1823 entre as tropas portuguesas, comandadas pelo Major João Jose da Cunha Fidié, contra as tropas piauienses e cearenses. Onde foi travada a sangrenta e desigual Batalha de Jenipapo, no município de Campo Maior do qual o nosso território fazia parte. Por meios de documentos podemos provar que o Coronel João de Araujo Chaves partiu dos Inhamuns comandando uma tropa integrada por 300 praças de cavalaria e uma companhia de infantaria chegando a Campo Maior no dia 07 de março, participando no embate do Jenipapo no dia 13 do mesmo mês. Essa tropa era conhecida como Exército Popular Auxiliador.

Então podemos deduzir que muitos dos moradores da Povoação Pelo Sinal fizeram parte nesse exército como militar ou voluntário e participaram na Batalha lutando e morrendo pela Independência do Brasil. Diante desse fato heróico teriam os idealizadores da emancipação escolhido o nome de Independência em homenagem a esses homens.

Terceira Hipótese: Aqui podemos citar dois pensamentos construídos ao longo do tempo, mas que sendo analisados com mais critérios, pode-se chegar a uma rápida conclusão de que eles não servem como referência e não podem ser aceitos.

Primeiro: Atribui-se que o nome seja proveniente do rio independência que banha a cidade. Todo independenciano sabe muito bem que o único rio que banha a nossa cidade é o rio cupim. Infelizmente dois escritores atribuíram outros nomes ao cupim. Antonio Bezerra de Menezes no seu livro “Notas de Viagem” chamou-o de rio das Pombas. Luiz Nogueira Mota no seu livro “Historia de Independência” (pag. 11) diz: A cidade acha-se localizada em uma planície banhada pelo rio independência.  A falha cometida por Bezerra de Menezes pode ser perdoada, pois ele não conhecia mesmo, mas o nosso conterrâneo e ex-prefeito Luiz Nogueira Mota, jamais poderia ter cometido essa errata.

Segundo: Atribui-se que o nome seja devido as suas perdas e reconquistas do status de município. Esse fato também não poder ser levado em conta, pois esses acontecimentos somente ocorreram depois que o município já pertencia ao Ceará, nos ano de 1893, 1896, 1931 e 1933 e o nome Independência já tinha sido escolhido no ano de 1857.

Diante do exposto, resta agora que cada um faça a sua própria conclusão.  Mas sabemos que vamos continuar na dúvida de sempre. Talvez em um dia qualquer no futuro possamos encontrar em uma fonte histórica a verdade sobre o real motivo da escolha sobre o nome da nossa cidade.

 

GILBERTO FERREIRA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*